O QUE É O ENSINO VIVENCIAL?

Conhecer não é saber todas as respostas, mas principalmente

saber fazer as boas perguntas e mantê-las vivas e acesas

como faróis norteadores do caminho que trilhamos. 

 

  Há mais de 30 anos, este é o espírito da Mater et Magistra: sempre refletir e, incessantemente criar e recriar o seu próprio conceito de Educação
   O conhecimento não é adquirido, o saber não é construído. Aqui na Mater et Magistra, ele é
vivenciado. Porque aprender é, sobretudo, saber viver.
   Esta é uma pequena parte do que denominamos Método Vivencial: Em salas de aula com no máximo 22 alunos, proporcionar o desenvolvimento integral e individualizado do aluno, estimular o raciocínio pela curiosidade, tornar a prática experimental indissociável da teoria, desenvolver o equilíbrio psicossocial, permitir que a criatividade e sensibilidade floresçam com a alegria e o prazer que expressam a mágica da própria vida.

 E este processo só se manifesta na vivência plena da liberdade, cuja conscientização envolve, antes de tudo a auto-percepção do aluno. A Mater et Magistra recusa-se a professar qualquer vigilância tutorial, porque acredita que é na íntima descoberta de si mesmo que o mundo se desvela aos discentes.

  Eis um outro grande diferencial da Mater. Porque são estimulados a tudo isso, são autônomos no seu agir e pensar, mas sobretudo: desde a primeira infância até ao fim da adolescência, eles têm intenso prazer em estudar, isto é, os alunos da Mater amam e apaixonam-se por aprender, vivendo.

Uma filosofia que é também de resistência e inconformismo... 
 

A Unesco detectou um fenômeno internacional: os alunos estudam e não aprendem. 

O Brasil encontra-se entre os últimos colocados nesta pesquisa. E a pergunta é fundamental: o que aconteceu com o Ensino brasileiro? Respondamos prontamente: a mercantilização e o esvaziamento do papel da Educação na formação integral dos alunos. A cada papel não exercido pelo Ensino, uma parte é mutilada na formação de nossas crianças e jovens. Por este motivo salientamos que nossa proposta educacional é única e revolucionária, porque na Mater:

  • A Educação não é mercadoria, o pai não é cliente, o aluno não é um número. A Educação é algo praticado e vivenciado em conjunto - professores, pais e alunos - numa dinâmica relação entre os que compartilham de um mesmo sonho educacional. Assim, o Mater et Magistra não "presta serviços", mas convida todos para participar de uma educação humanista e libertária.

  • As salas de aula têm no máximo 20 alunos, porque não se educa em massa. Não queremos embotar as mentes, mas fazer brotar a reflexão em alunos ativos, questionadores que interagem no seu próprio processo educacional e evolutivo.

  • Esta proposta exigiu uma equipe de professores que, além de possuir uma excelente formação (USP, PUC, Unicamp, Unesp...), são sobretudo, capazes de perceber que no Mater et Magistra, ensinar é também aprender, e que a arte de educar é também arte de viver.

  • Se a Educação imita a vida, a formação deve ser integral: nossos jovens serão homens agentes, que pensam, sentem, sonham, desejam e são. Queremos que, além de conhecer, revolucionem o conceito mesmo de realidade, sendo autores da sua própria história.

   A manifestação do indivíduo só é possível  por meio da liberdade, permite fazer do universo um espelho para conhecer as  profundezas da sua interioridade. Assim surge o auto-conhecimento com o início da sabedoria: parte da compreensão de si, capaz da percepção total da realidade, entender a sua inter-relação com o mundo, tornar apto a participar não sendo mais suscetível aos mecanismos impostos pela sociedade, religião, tradição, ou seja, pelos conceitos pré-estabelecidos. Pode através desta nova sensibilidade, fazer brotar “das coisas novas” mais “coisas novas”, e, como num processo infinito, um novo mundo, mais criativo e humano.